jump to navigation

Qual seria o balanço de fim de ano do inferno? dezembro 26, 2007

Posted by wandre in Reflexões.
add a comment

Alguns de nós certamente estão acostumados com reuniões de resultados empresariais, onde diretores e gerentes se esforçam por mostrar o que de bom foi feito e por esconder, de todas as formas possíveis, as desgraças. E é também comum em algumas empresas o presidente fazer ao final do ano um pronunciamento de como se vê a situação e quais os vislumbres para o ano seguinte.

Outro dia fiquei imaginando como poderia ser a reunião deste final de ano do inferno, ainda mais em vista do que anda acontecendo nas nossas igrejas… Aqui fica um devaneio…

(mais…)

Anúncios

O NATAL E A REVELAÇÃO AOS MARGINAIS DA RELIGIÃO dezembro 24, 2007

Posted by Carlos Barreto in Geral.
add a comment

Os textos chamados natalinos são todos de natureza revolucionária e marginal.

José é maior que o machismo, e aceita sua mulher, sem poder explicar para ninguém a gravidez dela (isso se alguém tivesse descoberto), mas apenas aceita o testemunho de um anjo, e, ainda pior: num sonho. José torna-se marginal. Deflagra as chamas da revolução da dignidade.

Os magos do oriente chegam conforme a Ordem de Melquizedeque, pois, sem terem nada a ver com a genealogia de Abraão, seguem uma estrela que anda no interior deles, e, caminhando nessa simplicidade discernem aquilo que os teólogos de Jerusalém só sabiam como “estudo bíblico”. Os que tinham a Escritura (os escribas), não tinham a Revelação. E quem nada sabia da Escritura tinha sabido o necessário acerca do Verbo pela via da Revelação. Uns sabiam o endereço: “Em Belém da Judéia…”, mas não tinham a disposição de sair do lugar… amarrados que estavam à idéia de que conhecer o texto leva alguém a qualquer lugar. Já os que perguntavam (os magos), estavam no caminho… seguiam… e são eles os que chegam onde Jesus estava. Eles dão testemunho do potencial revolucionário do Evangelho para qualquer alma da Terra. Esta é a revolução supra religiosa, conforme a Ordem de Melquizedeque.

A velha Isabel dá a luz um filho. Seu velho marido não pode nem contar a história, pois fica mudo. É a revolução dos estéreis e mudos.
(mais…)

Indiscernibilidade dezembro 20, 2007

Posted by wandre in Reflexões.
add a comment

“O homem espiritual discerne bem tudo. Mas ele mesmo, por ninguém é discernido”.

Para mim, a indiscernibilidade é um dos maiores dons que se pode ganhar ao nos unirmos à Cristo, em fé.

A Bíblia também declara que a nossa vida está oculta em Cristo, e quando Ele se manifestar, nós seremos manifestos com Ele também.

Isso é maravilhoso.

Nesse mundo contaminado pelo espírito imundo do julgamento ao próximo, Deus nos pode livrar, e colocar a salvo tanto das línguas humanas quanto das línguas de anjos.

Aquilo que eu sou, só Cristo sabe. E só se manifestará quando Ele também manifestar a todos tudo que Ele mesmo é.

Eu sempre me apeguei nessa verdade, para me sentir leve e livre.
(mais…)

O sempre e o de vez em quando dezembro 18, 2007

Posted by wandre in Reflexões.
1 comment so far

Outro dia alguém pinçou uma de minhas afirmações para afirmar que eu não acredito em milagres. A afirmação que fiz foi que Deus deseja fazer algo em nós, e não necessariamente por nós. De fato, representa muito do meu pensamento: a principal obra de Deus no humano é a conformação do humano à imagem de seu Filho Jesus, que Paulo, apóstolo, chama de “primogênito entre muitos irmãos”. Mais do que fazer coisas boas para o ser humano, Deus está comprometido em transformar o ser humano, ainda que isso custe deixar ou permitir que coisas ruins aconteçam a este ser humano em processo de transformação. Deus não atua no ramo de “conforto para os fiéis”. Deus atua no ramo de transformação do humano à imagem de Jesus Cristo.

(mais…)

Mãos ao alto! É um assalto! dezembro 15, 2007

Posted by wandre in Reflexões.
add a comment

Adoro música! Isso todo mundo sabe. Gosto demais de MPB… Chico, Caetano, Oswaldo Montenegro, Ivan Lins, Djavan… isso quase todos sabem. Gosto demais também da boa música evangélica… João Alexandre, Guilherme Kerr, Sérgio Pimenta (ai, que saudade!), Arlindo Lima, Jorge Camargo… isso muitos sabem. Gosto muito de cânticos espirituais que me enlevam, que têm boa letra (e são muitos… só não são tão cantados)… isso também muitos sabem. Gosto de momentos de louvor carismáticos, envolventes, gosto de levantar as mãos, “dançar”, fechar os olhos, abrir os olhos… isso alguns sabem. Mas ODEIO que me mandem fazer essas coisas nesses momentos de louvor… isso vocês vão saber agora!! hehe

Muitas de nossas igrejas não têm ministros de louvor, têm animadores de auditório. “Levante suas mãos”, “feche seus olhos”, “diga para o irmão que está ao seu lado: Jesus te ama!”, “faça isso”, “faça aquilo”… e lá ficam eles… os levitas… mandando e desmandando no auditório, achando que isso é ministrar o louvor… Muitas de nossas reuniões me lembram um antigo comercial de cerveja, em que o animador falava: “agora, só os homens… agora, só as mulheres… agora, só os baixinhos…”
(mais…)

O Meu Carandiru dezembro 13, 2007

Posted by wandre in Geral.
add a comment

Uma das coisas que me chamou a atenção quando li “Carandiru”, livro do Dráuzio Varella, foi ele ter dito que quando entrava ali, entrava como médico, não como juiz: não importava o que aqueles homens tinha feito para estarem ali, importava cuidar da saúde deles, para que tivessem um pouco de dignidade. Admirei muito a postura dele, mas me intrigava como ele conseguia fazer isso.

Sábado passado eu fiz a minha primeira visita a um presídio, junto com mais três pessoas da minha igreja, a Adenice, a Márcia e o Gustavo. Quando cheguei lá, foi impossível não me recordar do livro (o filme eu não vi, por opção… achei que iria me chocar muito). Logo na entrada do complexo penitenciário, um sargento um tanto truculento quis fazer seu show… disse que não poderíamos entrar com as bolsas… que deveríamos deixar tudo no carro… uma chatice… Mas quando viu que Adenice, a capelã prisional, não deu muita bola pra ele e disse que isso era resolvido na portaria lá de dentro, ele resolveu parecer que estava fazendo um favor e nos deixou ir…
(mais…)

PERDAS E GANHOS ( Ricardo Gondim ) dezembro 12, 2007

Posted by Carlos Barreto in Geral.
add a comment

 

Na vida, a gente coleciona perdas e ganhos.

Lamento, perdi muitos amigos. Alguns voltaram para casa, outros se exilaram, mas a maioria foi carregada pela enxurrada do tempo. Meu companheiro, George Pechlivannis, o grego, diluiu-se em Tessalônica e numa mais tive notícias suas. O David Pennington, que estudou ao meu lado no Gênesis, foi para a Nova Zelândia e evaporou-se por lá. O Gustavo pulou de um andar muito alto do edifício que morava, não vôou, e espatifou-se.

Lamento, perdi os meus parentes. Dos avôs paternos, guardo meros rabiscos de memória. A vovó Leonor vem e desaparece como uma estação de rádio mal sintonizada. A tia Deta amofinou-se com sua profunda dor, e foi sepultada enquanto eu viajava. Mamãe contaminou-se com um câncer agressivo, e nada pude fazer. Papai acabou-se como um livro velho e amarelado, que se esfarela com um simples toque.

Lamento, perdi os meus encantos. Torci pela seleção nacional de futebol e até chorei em 1982, quando a Itália do Paolo Rossi nos humilhou. Hoje, vejo os jogadores como meros profissionais, frios e distantes das expectativas do povão, que sofre na arquibancada.

Como filho de um preso político, aguardei o dia em que os civis governariam o país. Embora continue acreditando no regime democrático e de direito, já não consigo militar por qualquer partido político. O Partido dos Trabalhadores, o PT, tornou-se minha mais retumbante decepção. Como cobiçou o poder a qualquer preço, precisou fazer coalizão com as oligarquias mais retrógradas e mais interesseiras do planeta. Portanto, não acredito que as atuais agremiações, que os atuais políticos, ou que as atuais instituições civis e militares, tenham interesse altruístas. Os poucos homens íntegros deste país são caçados, marginalizados ou, literalmente, apagados – os Chico Mendes e as Dorothys que o digam. (mais…)

On My Way (tradução) dezembro 11, 2007

Posted by wandre in Geral.
add a comment

Composição: Phil Collins

Conte pra todo mundo que eu estou a caminho
Novos amigos e lugares pra ver
Com céus azuis pela frente, sim
Eu estou a caminho
E não tem ninguém mais
Que eu prefira ser

Conte pra todo mundo que eu eu estou a caminho
E eu estou amando todo passo que eu dou
Com o sol batendo sobre, sim
Eu estou a caminho
E eu não consigo tirar esse sorriso da minha cara

Porque não tem nada como ficar vendo
Um ao outro novamente
Não importa a distância entre
E as historias que nós contamos
Vão fazer você sorrir
Oh, isso realmente levanta meu coração

(mais…)

DANDO ORDENS À ALMA dezembro 11, 2007

Posted by Alexandre Araújo in Reflexões.
add a comment

Quando o salmista disse “Bendize minha alma ao Senhor e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome” — para então depois acrescentar as razões para tal louvor; e que vinham do fato de que é Ele quem cura as nossas enfermidades, perdoa as nossas iniqüidades e da cova redime a nossa alma — ele falava de algo que seu espírito sabia, mas que sua alma, naquele dia e hora, não sentia.

É muito difícil saber com o espírito quando a alma não está sentindo de modo correspondente ao que se sabe.

Desse modo, o que o salmista diz ao exortar a sua alma, é que ela estava deprimida pela enfermidade, culpada de iniqüidades, e sentindo-se à beira da cova, em sentimento de profunda desesperança.More…

(mais…)

Apenas não complique! dezembro 10, 2007

Posted by wandre in Artigos, Reflexões.
add a comment

É tão bom viver a simplicidade do Evangelho de Jesus. Apenas poder respirar a graça de Deus e sorrir na certeza de que foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Poder ser você mesmo. Atravessar seus momentos sem culpas ou cobranças. Ser humano sem deixar de ser espiritual. Ser espiritual sem deixar de ser humano. Poder saber que não há papéis a representar e nem aparências a manter. Tudo é simples. Nada é pesado. Tudo é leve. Como o vento que sopra onde quer. Como o animal selvagem que corre pela selva e que nunca foi domado ou domesticado pelos homens. Como a criança que corre livre e feliz sabendo que seu pai cuida dela.
(mais…)