jump to navigation

Repensando nossa missão fevereiro 28, 2008

Posted by wandre in Devocionais, Evangelho, Graça, Reflexões.
add a comment

Lembro de um tempo quando os jovens cristãos ficavam se perguntando se Deus lhes havia chamado para missões. Isso significava, no entendimento deles, ser enviado para alguma terra distante para pregar o Evangelho.

O fato é que você está lendo este artigo, em parte, porque pessoas se dispuseram a sair de onde estavam e vir até o nosso país trazendo a mensagem do Evangelho. Por elas, nós agradecemos a Deus.

Eu sei que existe uma visão mais tradicional sobre este assunto de missões, que eu respeito; mas que, praticamente, dissocia missões da vida cotidiana das pessoas.

Ou seja, para fazer missões você tem que sair de onde está e ir a algum outro lugar. Não é algo que faz parte do seu dia a dia, é algo à parte dele. Quase nunca é visto como algo que você faz onde está, mas sempre onde você ainda não foi.

(mais…)

GOSTO DE SEXO, E DE SWING. O QUE DEUS DIZ? fevereiro 28, 2008

Posted by Alexandre Araújo in Cartas.
Tags: , ,
1 comment so far

—–Original Message—–
From: MENINA ANJO
Sent: terça-feira, 29 de junho de 2004 17:06
To: contato@caiofabio.com
Subject: GOSTO DE SEXO, E DE SWING. O QUE DEUS DIZ?
____________________________________________________________
Irei responder suas perguntas no curso da sua carta. Mas ao final eu volto lhe dizendo o que penso de um modo mais amplo.

Caio
____________________________________________________________

Querido pastor Caio,

Há algum tempo venho querendo te escrever e, se possível, tirar algumas dúvidas contigo.

Sou uma menina de 25 anos. Fui criada na igreja, escola dominical, acampamentos de adolescentes, essas coisas. Toda a minha família é evangélica. Tive minhas experiências com Deus, e tenho toda a consciência de que a Graça dEle é melhor do que a própria vida.

Bom, o meu problema, e o maior deles, é ser viciada em sexo. E de todo o tipo (pelo menos dos considerados “normais”).

Recentemente, descobri o sexo com casais e os clubes de swing, e adorei. Não tenho vontade de parar. (mais…)

Esta simplicidade… fevereiro 27, 2008

Posted by wandre in Outros, Reflexões.
add a comment

 ÍNDIOS

Legião urbana

Composição: Renato Russo

Quem me dera
Ao menos uma vez
Ter de volta todo o ouro
Que entreguei a quem
Conseguiu me convencer
Que era prova de amizade
Se alguém levasse embora
Até o que eu não tinha

Quem me dera
Ao menos uma vez
Esquecer que acreditei
Que era por brincadeira
Que se cortava sempre
Um pano-de-chão
De linho nobre e pura seda

Quem me dera
Ao menos uma vez
Explicar o que ninguém
Consegue entender:
Que o que aconteceu
Ainda está por vir
E o futuro não é mais
Como era antigamente.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Provar que quem tem mais
Do que precisa ter
Quase sempre se convence
Que não tem o bastante
Fala demais
Por não ter nada a dizer.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Que o mais simples fosse visto
Como o mais importante
Mas nos deram espelhos
E vimos um mundo doente.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Entender como só Deus
Ao mesmo tempo é três
Esse mesmo Deus
Foi morto por vocês
É só maldade então
Deixar um Deus tão triste.

Eu quis o perigo
E até sangrei sozinho
Entenda!
Assim pude trazer
Você de volta pra mim
Quando descobri
Que é sempre só você
Que me entende
Do início ao fim.

E é só você que tem
A cura do meu vício
De insistir nessa saudade
Que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Acreditar por um instante
Em tudo que existe
E acreditar
Que o mundo é perfeito
Que todas as pessoas
São felizes…

Quem me dera
Ao menos uma vez
Fazer com que o mundo
Saiba que seu nome
Está em tudo e mesmo assim
Ninguém lhe diz
Ao menos obrigado.

Quem me dera
Ao menos uma vez
Como a mais bela tribo
Dos mais belos Índios
Não ser atacado
Por ser inocente.

Eu quis o perigo
E até sangrei sozinho
Entenda!
Assim pude trazer
Você de volta pra mim
Quando descobri
Que é sempre só você
Que me entende
Do início ao fim.

E é só você que tem
A cura pro meu vício
De insistir nessa saudade
Que eu sinto
De tudo que eu ainda não vi.

Nos deram espelhos
E vimos um mundo doente
Tentei chorar e não consegui.

Deficiências fevereiro 26, 2008

Posted by tinha in Geral.
add a comment

Queridos caminhantes,

Encontrei este Texto de Mário Quintana e achei fantástico, Evangelho simples e verdadeiro!!!

Paz e bem na alma!!

Cátia.

DEFICIÊNCIAS

Deficiente é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

Louco é quem não procura ser feliz com o que possui.

Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

Mudo é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

Paralítico é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

Diabético é quem não consegue ser doce.

Anão é quem não sabe deixar o amor crescer.

Miseráveis são todos que não conseguem enxergar a grandeza de Deus.

Artigo família fevereiro 26, 2008

Posted by wandre in Artigos, Reflexões.
add a comment

Deus, eu, nós e nossas famílias!

Freud mostrou como boa parte do “nó” humano se ata à sexualidade.
Ora, isto já inclui a família.

Sexualidade, sexo, convívio, procriação, criação, ensino, aprendizado, manifestações de vida e personalidade, crises pessoais, angustias existênciais, competições, invejas, desvios de curso na vida, medo de amar, compulsão de amores…etc…tudo isto passa pela família.
O problema é a família e a solução é em família!

A Bíblia trata a família sem romantismo.
A família é lugar de vida, esperança e alegria…

A família é lugar de angustia, engano, disputas e alterações dramáticas de destinos…
Tudo começa com a mulher que seduz o homem…e o homem que deseja ser seduzido pela mulher: Adão e Eva.

(mais…)

Evangelho Simples… Simplesmente Evangelho fevereiro 26, 2008

Posted by Alexandre Araújo in Artigos, Outros.
Tags: , , , ,
1 comment so far

Era uma tarde de setembro de 2003, após uma longa viagem encontramos um cenário assustador. O objetivo da viagem era entender porque as crianças que cuidávamos no orfanato, tinham tantos traumas na alma e temperamentos conflitantes. Suas histórias sobre morte, perseguições e testemunhos de terem presenciado o assassinato dos próprios pais, muitas vezes a espada, tudo isso parecia longe demais para minha compreensão .

Visitando o local do conflito entre muçulmanos e cristãos, encontramos desolação por todos os lados. Vi muitas igrejas destruídas, foi uma semana muito triste, era como se tudo estivesse acabado, acabou, lutar, continuar, será, aonde, como??? Eram muitas as perguntas e poucas as respostas.

Até que li uma frase em uma das poucas paredes que restou dentre as muitas igrejas queimadas, GEREJA TETAP GEREJA. Meu coração se encheu de terna alegria e compreendi uma verdade que sempre esteve no meu coração através sussurro suave de Deus, mas que naquele momento foi gritada, como que com megafone, na minha alma. O texto dizia, A IGREJA CONTINUA SENDO IGREJA, embora estivesse derribada e queimada. O que Deus gritou no meu ouvido foi que na verdade, o que foi queimado foi apenas um local de reunião da Igreja, e não a Igreja, pois esta somos nós e não a outra. Sim nós, a igreja de Cristo, templo do Espírito Santo, que está a caminho, caminhando, as vezes sofrendo a dor do aprendizado, ao mesmo tempo que gozando os frutos da maturidade que a mesma dor proporciona. (mais…)

A ARTE DOS ENCONTROS – MARCOS INHAUSER fevereiro 25, 2008

Posted by Carlos Barreto in Geral.
add a comment

  

Viver é a arte dos encontros e eles
nos fazem ser mais ou menos efetivos
na vida dos outros e na própria vida.


A vida é a arte dos encontros. Há vários tipos encontros na vida. Há aqueles que são inevitáveis. Pode ser a pessoa chata, a grossa, a escandalosa no jeito de se vestir ou falar, a mal-educada, a mal-cheirosa. Lembro-me que estava no aeroporto de Madrid, vi dois casais sujos e fedidos. Pensei: coitado de quem se assentar ao lado deles! E fui eu, naquele Boeing monstruoso que tem cinco assentos na coluna do centro e dois de um lado e dois de outro lado e eu no meio.

Há aqueles encontros na vida que você tem pouquíssima informação sobre a pessoa, às vezes a gente nem sabe o nome, mas elas marcam a vida da gente.

Há aqueles que você sonha em se encontrar com uma pessoa, e quando se encontra, que decepção! Isto aconteceu comigo. Tinha lido vários de um autor uruguaio, um dia o encontrei, fiquei todo contente em conhecê-lo e meia hora depois senti vontade de largar o cara e nunca mais o ver na vida.

Há encontros em que você se sente bem em ter encontrado, ter podido ajudar e nem fica sabendo quem era. Lembro-me de um senhor que me abordou no aeroporto de Miami. Tinha ido para lá sozinho, alguém devia espera-lo, estava há quatro horas no aeroporto e ninguém aparecia. Não falava uma palavra em inglês nem em espanhol. A única coisa que tive que fazer foi levá-lo ao desembarque central, porque havia descido num terminal secundário. Quando encontrou as pessoas que o esperavam, também já aflitas, ele me abraçou e beijou. Nunca soube seu nome, mas ele me marcou.

Há os encontros que ocorrem quando não se espera nada mais. Você fica olhando em volta buscando alguém com quem conversar, precisando de alguém para ouvir e te ouvir e, depois de um tempo, nada acontece. Quando você decide retirar-se, a coisa ocorre. Estes parece que são especiais. É como a pessoa que vem te salvar na última respirada de um quase afogamento. Não é um encontro, é uma salvação!

Há encontros em que as pessoas trocam idéias, compartilham sonhos e fortalecem a vida.

Há encontros em que a pessoas só falam obviedades que nada acrescentam e você fica com a sensação de que está perdendo seu tempo.

Há encontros em que a pessoa só fofoca, denigre ou inveja. Estes nos matam.

Há encontros em que o silêncio é mais proveitoso que as palavras.

Há encontros em que o olhar, o toque, o carinho dispensam as palavras.

Há encontros em que a palavra deve ser bem pesada, pensada, sentida, vivida.

Há encontros em que a vida pára para que as pessoas possam viver.

Há encontros em que a vida dispara porque se tem o desejo de viver tudo em um instante.

Há encontros que são benção e outros maldição. São maldição quando um se sente superior ao outro ou quando um vê o outro como objeto dos seus desejos ou fonte de recursos. Também o são quando, ao invés de ser encontros são trombadas, porque não propiciam a taquicardia do olhar no olho, do toque suave, do cheiro, do abraço, do confiar, do ajudar, do chorar juntos, antes promovem feridas. São benção quando se percebe que você e a outra pessoa são honestas e se abrem e dizem o que pensam, sonham e compartilham a vida. 

Por que as pessoas gostam de apanhar na “igreja”? fevereiro 25, 2008

Posted by wandre in Cartas, Reflexões.
add a comment

From: POR QUÊ AS PESSOAS PARECEM GOSTAR DE APANHAR NA “IGREJA”?
To: caminhojovem@grupos.com.br
Subject: Sobre a submissão das pessoas à tirania…
Date: Fri, 28 Apr 2006 13:04:25

Fonseca, querido amigo e amado irmão, a quem eu desejo muita paz, graça e todo o bem,

Muito obrigado pelo seu carinho e amor, e saiba que a recíproca é verdadeira!

Aperta-me o coração de ver a crueldade que se faz às pessoas, em nome de Jesus! Tal sentimento desemboca em indignação, como uma força motriz, assim como Jesus arrasou com a feira dentro do templo. Até Jesus ficava puto com esse povo!

Por que isso, Fonseca? Por que muitos fazem essas crueldades, destroem vidas, enchem de sentimento de culpa, prisionam, amendrontam, fazem o outro se sentir um lixo, tudo em nome de Deus, como se Ele quisesse isso?

E o pior: por que os que sofrem tais coisas se deixam levar por elas, aceitam, aplaudem, defendem, para, depois, serem “mortos” pelas mesmas?

Ah, meu Deus! Dê visão aos que estão cegos e só apalpam onde a víbora pode morder e o urso despedaçar!

Abraços,

Alysson
______________________________________________________________

Resposta do Fonseca:

Meu querido amigo Alysson.

Eu poderia tentar responder essa pergunta, que é a mesma pergunta que eu
faço para mim mesmo, sempre.

Porém eu acho que o Caio Fábio saberia responder com mais propriedade do que
eu, já que a quilometragem dele é maior do que a minha; e que nele eu descobri alguém que ama ao próximo mais ainda do que eu julgava eu mesmo amar; e que eu descobri nele alguém que ama mais a Jesus Cristo do que eu julgava eu mesmo amar.

Darei, pois, a ele, ao Caio, a bênção para nós dois de responder essa sua
pergunta tão pertinente, que é a mesma pergunta do meu coração.

Seu amigo e amado irmão em Cristo.

Fonseca
____________________________________

Amadíssimos Alysson e Fonseca: irmãos, amigos e confiantes companheiros de jornada: toda Graça e toda Paz!

Poderíamos fazer uma longa, longa viagem, a fim de responder essa questão; indo da psicologia à história dos povos; indo da construção pagã que se instalou na alma humana, pela queda e pelo pecado, até aos surtos de magalomania que acomente aos tão inseguros, que seguram tudo e todos; aos que de tão inseguros, se entregam a tudo e a todo aquele que os poupar de assumirem responsabilidades próprias.

(mais…)

PERDÃO – RICARDO GONDIM fevereiro 23, 2008

Posted by Carlos Barreto in Geral.
add a comment


Peço perdão a você, mulher, que foi abandonada por seu marido e eu não soube acolher. Minha indiferença à sua dor, muitas vezes em nome de uma programação, dói como uma flechada.

Peço perdão a você, adolescente, que tratei com a mesma rigidez legalista que me foi imposta. Eu acreditava que ela representava a legítima moral cristã. Agora vejo como gerei neuroses. Lamento por ter-lhe imposto um jugo que não carreguei quando tinha a sua idade.

Peço perdão a você, amigo, que me esqueci de agradecer por sua lealdade. Prezo por sua companhia, porém,  reconheço que me atrasei em valorizar seu abraço sincero. Empolguei-me com quem eu considerava talentoso e útil e me esqueci de você, que nunca se impôs com suas competências, mas mostrou qualidades divinas.

Peço perdão a você, senhor, que na tribulação precisou de uma palavra humana. Eu só lhe lhe falei chavões. Em sua doença, agi como um dos amigos de Jó e fui indiferente em sua falência. Sua angústia não me inquietou e eu não me comovi com seu desespero. Perdoe-me!

Peço perdão a você, que constrangi com os meandros da insensatez humana. Negligente, permiti que questiúnculas religiosas vazassem para a arena pública; sei que estive no meio dos escândalos e isso não faz bem a minha alma.

Peço perdão ao meu Deus, por não ter conseguido manter-me altaneiro em minhas atitudes. Eu não soube mostrar a mesma fidalguia de Jesus, a quem professo como Senhor de minha vida.

Resta afirmar que venho tentando ser melhor marido, pai, avô, cidadão, amigo e irmão; e que prometo não desistir tão cedo da tarefa de tornar-me um pouco parecido com meu Mestre.

Soli Deo Gloria.

Aforismos III fevereiro 23, 2008

Posted by wandre in Reflexões.
add a comment

“As passagens da Bíblia que me causam problemas não são aquelas que eu não entendo, mas aquelas que eu entendo…“ (Mark Twain)

“Inútil insistir em perigosas expedições ao Monte Ararat. Os destroços diluviais só podem ser descobertos pelas mãos arqueológicas do Espírito.” (Alysson Amorim)

“O pior perdido é aquele que ainda não achou-se perdido, aquele que por inocência ou conveniência julga-se eleito e separado. O início da salvação está, pois, em achar-se perdido: por isso há tanta luz nos bordéis.” (Alysson Amorim)