jump to navigation

O Eterno Amanhecer! abril 10, 2008

Posted by Alexandre Araújo in Devocionais.
Tags: , , , ,
trackback

“Houve tarde e manhã o primeiro, o segundo, o terceiro, o quarto, o quinto, o sexto dia—o do homem—;e houve tarde e manhã o sétimo Dia… E o Senhor Deus descansou no Sétimo Dia. E nós também temos Descanso no Fim-Começo desse Novo Eterno Dia, que Já começou para todo aquele que crê.”

Nós nascemos à tarde, no Sexto-Dia, conforme o Gênesis. Portanto, o amanhã trás o nosso Amanhecer, segundo Deus.

Na seqüência da Criação primeiro vem a tarde, depois a noite e então o amanhecer!

Há sombras e noite no caminho. Mas o Dia termina na Luz da Manhã. No Dia de Deus o Ocaso não é a-caso, é apenas um intervalo entre uma luz que se desvanece— a tarde— e o inicio de uma Luz que não se desvanece—, a manhã! e que vai brilhando mais e mais até ser Dia Perfeito!

Afinal, o Apocalipse diz que na Nova Jerusalém não haverá Noite, nunca mais!

No princípio havia trevas e caos.

Então Deus disse: “Haja Luz”.

E houve tarde e manhã o primeiro Dia.

O Dia de Deus começa e caminha para o Amanhecer como Fim-Meta.

Ora, o primeiro milagre do Cordeiro— do Verbo encarnado, do Emanuel, do Cristo, Jesus!—foi demonstrar que Nele as lógicas são subvertidas. Ele deixa o melhor para o Fim, conforme Seu milagre no casamento de Caná.

Afinal, Sua própria experiência como o Encarnado, também obedeceu a mesma lógica: padeceu primeiro, foi glorificado depois; humilhou-se antes para ser exaltado depois. Esvaziou-se de Deus para ser Glorificado acima de todo Principado, Potestade e Poder.

Essa é também a lógica do Logos:

“Se o grão de trigo não morrer, fica ele só; se porém morrer, produz muito fruto”.
“Semeia-se em corrupção, colhe-se em incorrupção; semeia-se corpo natural, ressuscita-se em corpo espiritual”.

Tudo que veio Dele, um Dia vai voltar para Ele!

E sabe por que isto é possível?

O Cordeiro de Deus foi imolado e seu Sangue foi conhecido antes da Fundação de todas Fundações!

O Cordeiro é a Pedra Angular de toda a Construção, à começar da Criação de todas as coisas e prossegue sendo a Pedra de Esquina até o Dia da Reconciliação de todas as coisas Nele.

A Cruz vem antes de todas as Coisas, e, portanto, também antes de todas as Quedas. Só houve a possibilidade de haver Liberdade — incluindo os terríveis riscos de haver Quedas— porque, antecipadamente, já havia o Cordeiro e Seu Sangue conhecido com efeito antes da fundação do mundo—sim! antes de todo e qualquer mundo.

“Haja Cruz”—foi o grito que nenhuma criatura ouviu ser bradado, pois, Quem o bradou estava só!

Esse clamor do Deus agonizante antes de parir Seus mundos—todos eles—, nenhuma criatura ouviu. Nem mesmo os anjos—os filhos de Deus que alegremente viram e cantaram a sabedoria de Deus na Criação— ainda não existiam para testemunhar esse Brado. Afinal, eles vieram depois dele. Daí a Cruz ter sido e ser para eles um mistério, aliás, o Mistério!

Era um entendimento de Deus com Deus. E ninguém existia para ser Seu conselheiro. Daí ter sido também o Grande Mistério que nem Lúcifer conhecia.

“Deus meu, Deus meu, por que me desamparas-te?”—fez-se ouvir antes que qualquer criatura ou criação experimentasse consciência de queda e desamparo!

Pensar diferente é crer numa Cruz que veio depois—ou seja: sendo apenas uma tentativa divina de remendar Seus próprios erros como Criador e Sua culpa ante a Criação.

Quando se diz que o Cordeiro de Deus foi imolado antes da criação do mundo, diz-se também que a provisão da Graça é a única Liberdade possível na Terra, pois, essa certeza do Amor Gracioso que se entregou pelos equívocos e pecados da Criação antes dela existir, carrega consigo uma profunda libertação da culpa de ser e de todas as fobias existenciais que ela patrocina.

Estou convencido de que é somente vivendo com essa consciência em fé é que se pode experimentar a libertação de todo medo de ser, viver, existir e, também, pode-se assumir a própria consciência como o Santo dos Santos de cada indivíduo na Terra.

Aqui começa a liberdade. Nenhuma liberdade que não nasça da consciência em fé de que este universo tanto é fruto do Amor de Deus quanto também de Sua entrega Sacrificial pela Criação pode ser chamada de liberdade. Isto porque antes de qualquer Criação existir a Cruz foi Erguida!

Ora, é isto que pode nos fazer viver como pecadores livres do pecado-culpa de ser, que é a mais latente de todas as culpas que o ser humano conhece.

O Perfeito Amor lança fora o medo!

Só se perde o medo de ser quando se perde o medo de Deus!

E isto só acontece em plenitude mediante a Liberdade que nasce da Graça Pré-existente de Deus, na entrega do Cordeiro Eterno, que é Cristo Jesus, o Nosso Senhor!

Caio Fábio

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: