jump to navigation

NÂO ACREDITO – Osmar Ludovico maio 27, 2010

Posted by Carlos Barreto in Devocionais, Geral, Graça, Reflexões.
trackback

 
 

Não acredito em respostas prontas estereotipadas e definitivas, mas em ser apenas um aprendiz, aprendendo sempre, num processo sem fim de aprender, desaprender e reaprender.
Não acredito em estratégias, modelos ou planos religiosos definidos e reproduzíveis, mas nas surpresas do dia-a-dia vivido na presença de Deus, no convívio familiar e comunitário.
 
Não acredito em projetos ministeriais importados e apostilados, mas no serviço simples, contínuo e discreto em favor dos pobres.
 
Não acredito em técnicas de evangelização, mas sim em pregar o Evangelho o tempo todo com a vida e, quando necessário, usar palavras.
 
Não acredito no barulho e na agitação, mas sim no recolhimento e no silêncio.
 
Não acredito em busca de poder religioso que alimente ambições pessoais, mas sim no poder que se aperfeiçoa nas minhas fraquezas.

Não acredito no que acontece sob os holofotes e é propagandeado, mas no imperceptível, no pequeno, no gesto simples do quotidiano.

Não acredito em lideranças personalistas, mas em servos anônimos que refletem a vida e o caráter de Cristo.
 
Não acredito num Evangelho explicativo, argumentativo, teórico, mas no Evangelho que me coloca em relação afetiva com Deus, comigo mesmo e com meu próximo.
 
Não acredito na linguagem da motivação e da auto-ajuda, mas na linguagem da intimidade que encontra espaço para afetividade e confidências.
 
Não acredito na teologia da prosperidade, mas numa teologia que gere quebrantamento, humildade, simplicidade e serviço desinteressado.
 
Não acredito em crentes bonzinhos e certinhos, mas em gente real que erra e se arrepende e não tem vergonha de se apresentar como pecador remido pelo sangue do Cordeiro.
 
Não acredito em oração que busca conforto pessoal, mas em oração que clama por santidade pessoal e engajamento por um mundo mais justo.
 
Não acredito em oração gritada em público com o intuito de chamar atenção sobre si, mas na oração no secreto onde ninguém vê e ninguém sabe.
 
Não acredito em testemunhos, livros e conversas de pessoas vitoriosas em tudo e que nunca erram, mas em pessoas reais que se alegram e se entristecem, têm virtudes e têm defeitos.
 
Não acredito em práticas religiosas produzidas pela mente humana, mas naquelas que são fruto de uma intimidade com Deus.
 
Não acredito em igrejas de classe média voltadas para si mesmas e sem visão social, mas naquelas cujos recursos humanos e financeiros são disponibilizados para missões e para os pobres.
 
Não acredito que o marketing trará o Reino de Deus entre nós, mas em ações concretas na busca da justiça e da paz nas nossas cidades.
 
Não acredito em profecia que gera crentes infantilizados dependentes do profeta, mas em profecia que anuncia o juízo, gera quebrantamento e dependência de Deus.
 
Não acredito nos abraços e nos “eu te amo, meu irmão” instantâneos induzidos por pregadores, mas em abraços e amizades pessoais vividas no quotidiano ao longo da vida.
 
Não acredito que adoração se resume ao “louvorzão” do domingo dirigido por levitas, mas que glorificar a Deus é um estilo de vida de doação e santidade.
 
Não acredito em alguém que diz que ama a Deus e não tem amigos, mas naqueles cujos vínculos, afetos e amizades evidenciam que de fato são discípulos de Cristo.
 
Não acredito em discipulado que é mera doutrinação de conceitos e informações corretas, mas no discipulado que gera metanóia, arrependimento, mudança interior que se reflete nos gestos e atitudes do dia-a-dia.
 
Não acredito que o crescimento espiritual é linear e sempre progressivo, mas que é sujeito a recaídas, crises, dúvidas, um processo contínuo de aprender, desaprender e reaprender.
 
Assim, não acredito que cheguei lá, que já tenho todas as respostas. Deus me dá graça e coragem para continuar nesta jornada sem volta, me distanciando cada vez mais da minha natureza caída em direção à perfeita estatura da varonilidade de Cristo. E quanto mais avanço, mais longe estou do meu ponto de partida – meu eu caído, mas também de onde quero chegar: me assemelhar a Cristo.

O Caminho é uma pessoa e seu nome é Jesus!
O maior é aquele que mais serve!

Anúncios

Comentários»

1. Jarbas Matos Santos - dezembro 1, 2011

Este não é outro, senão o Evangelho puro e simples do Senhor Jesus, que veio para servir e não ser servido. Concordo com Osmar. Mais do que nunca precisamos segur os passos de Jesus. ” Seuí-lo é o mais fascianante projeto de vida”. Um mundo distante de Deus é um mundo sem sentido, vazio e sem esperança. A vida só tem sentido em Jesus, como disse Pedro – Para onde iremos nós, se só Tu tens palavras de vida eterna? Só Jesus salva!
Sds

2. Leila Barbosa - março 15, 2012

Realmente: duas coisas que eu acho muito chatas nas igrejas hoje em dia.A 1a é aquele momento que que pastor ou dirigente praticamente obriga as pessoas a se cumprimetarem e se abraçarem.Muito forçado. A outra é quando se faz o apelo no final do culto e vc percebe que não houve profundidade na pregação, o sermão não teve iniciativa nem acabativa , mas fica aquela insistência para que alguma pessoa se manifeste.Sei lá, eu ainda acho que estas decisões espirituais são sempre decisões solitárias, de quebrantamento, de contrição e não de auê.

3. érico batista de oliveira - março 17, 2012

Sou pastor batista há mais de trinta anos e me identifico solidamente com os pensares, muito embora não tenha lido tudo, aqui apresentados. Desde as primeiras linhas me senti “no time”. Um time prá lutas e não para jogos. Estou treinando pela misericóridia um grupo de homens e mulheres chamados para o ministério e isto é muito maior do que eu…Peço suas orações e se possível além do que vou “filar” aqui, outros indicativos para quem aspira o “episcopado”. Li sobre vocês no livro “feridos em nome de Deus”.
Parabéns pela genuinidade e alcance da perspectiva. Orando por vocês me firmo – cordialmente – érico de oliveira


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: